Polícia Civil celebra 141 anos com a maior promoção de servidores de sua história

 
 
O Governo do Pará realizou nesta quarta-feira, 24, a maior promoção da história da Polícia Civil do Estado do Pará, durante a solenidade alusiva aos 141 anos da corporação policial no Estado, realizada na Delegacia Geral, em Belém e presidida pelo delegado geral Rilmar Firmino de Sousa. Foram 1.342 policiais civis promovidos em decreto assinado pelo governador do Pará, Simão Jatene. O número representa quase 50% do total de policiais civis no Estado.
 
O anúncio das promoções dos policiais civis foi recebido com aplausos pelos convidados e pessoas homenageadas durante o evento. Com as promoções, os profissionais da área policial avançam de classe dentro da Polícia Civil, o que resulta diretamente na elevação da remuneração salarial. 
 
Durante a cerimônia, 88 personalidades do Estado do Pará e de outros Estados foram agraciadas com as mais altas comendas da instituição policial: a Medalha do Mérito Policial Civil; a Medalha Evanovich de Investigação Policial e o Diploma Amigo da Polícia Civil. O objetivo das distinções é homenagear pessoas que, por meio de seu trabalho, prestaram relevantes contribuições à instituição policial e à sociedade. Entre os homenageados estão profissionais liberais, servidores públicos do Estado e das Forças Armadas, promotores de Justiça do Ministério Público do Estado, representantes do Poder Judiciário do Estado, empresários e lideranças comunitárias. 
 
Além das comendas, 67 policiais civis que atuaram em 15 operações de combate ao crime no Estado, no último ano, foram homenageados na cerimônia pelos resultados positivos das ações de combate à criminalidade no Pará. Ao todo, foram 11 equipes de policiais civis homenageadas por terem atuado em investigações que resultaram no esclarecimento de crimes de alta complexidade e que contribuíram para elevar a imagem da Polícia Civil. 
 
Entre as investigações está a operação Galézia, realizada em 2015 e que resultou na desarticulação de um esquema de venda de carteiras de habilitação a partir de cidades do sul e sudeste do Pará. Outra ação importante foi a Operação Clean Water, deflagrada em agosto do ano passado, para prender integrantes de uma facção criminosa responsável pela autoria de mortes ligadas ao tráfico de drogas na Região Metropolitana de Belém. Ao todo, 19 pessoas foram presas e outros três suspeitos morreram em troca de tiros. Ao todo, sete homicídios registrados no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, foram esclarecidos com as prisões.
 
O evento foi de muita emoção para os policiais civis homenageados, entre eles, a investigadora Valéria Franco, única mulher a ocupar o cargo de chefe de operações em uma das mais importantes Unidades da Polícia Civil do Estado: a Divisão de Homicídios sediada em Belém. Ganhadora da Medalha Evanovich de Investigação Policial, a policial civil afirmou se sentir honrada em receber a honraria e destacou a atuação das mulheres na Polícia Civil. "Este é um momento muito especial para mim, pois sou a primeira chefe de operações de uma das maiores Delegacias Especializadas do Estado. Isto demonstra a evolução e o reconhecimento da mulher dentro da instituição Polícia Civil", celebrou. 
 
Com quase 15 anos de carreira policial, quatro deles dedicados à Divisão de Homicídios, Valéria encara a tarefa de investigar crimes contra a vida como um desafio diário, além do fato de comandar uma equipe de trabalho formada quase que em sua totalidade por homens. Para ela, a satisfação maior de atuar em uma Unidade Policial, como a Divisão de Homicídios, é dar respostas à sociedade, apesar de o trabalho ser focado na investigação sobre perdas humanas. "Se não devolvemos a vida, pelo menos, amenizamos a dor", ressalta, ao destacar que as homenagens recebidas pelos policiais civis foram possíveis graças à colaboração e dedicação de todos os paceiros da equipe de trabalho. 
 
Na solenidade, pessoas que atuam em movimentos comunitários em prol da sociedade tiveram seus trabalhos reconhecidos pela Polícia Civil. Foi o caso da líder comunitária Tania Rodrigues, presidente do Conselho de Segurança Pública do bairro do Curió-Utinga, em Belém. Agraciada com o Diploma de Amigo da Polícia Civil, ela se disse honrada em receber a comenda na festa alusiva ao Dia da Polícia Civil. "Isso é um reconhecimento do trabalho que a gente vem realizando junto à comunidade do nosso bairro", festeja. 
 
 
A Medalha do Mérito Policial Civil é concedida a civis, militares e servidores públicos que tenham prestado relevantes contribuições à Polícia Civil do Estado. A condecoração também reconhece policiais civis que se destacam por seu valor pessoal e profissional, contribuindo para a projeção da Polícia Civil em âmbito estadual e nacional, Edilena Rocha, Secretária Adjunta de Gestão Administrativa da SEAD recebeu a medalha.
 
A Medalha Evanovich de Investigação Policial destina-se a incentivar e galardear policiais civis que, por seu trabalho de investigação, tenham ajudado a elevar o nome da instituição. O nome da comenda é uma homenagem ao ex-delegado de Polícia Civil, Manoel Evanovich dos Santos, em reconhecimento pelo trabalho sério, dedicado e honesto que realizou durante o exercício de seu cargo.
 
Já o diploma de “Amigo da Polícia Civil” é concedido às personalidades ou representantes de entidades civis, que por ato ou deferência com a instituição tenham se tornado credores de reconhecimento por relevantes serviços à ela prestados, Alice Viana, Secretária de Administração recebeu a homenagem. 
 
Por Walrimar Santos