Mais de 44 mil candidatos fazem prova do concurso público da Seduc

A prova do concurso público da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) ocorreu dentro da normalidade, na manhã deste domingo, 24. Ao todo, 44.552 candidatos compareceram aos locais de prova. Do total de 51.419 inscritos no certame, foram registrados 6.867 faltosos, o que representa 13,35% do total de candidatos. O concurso oferta 2.112 vagas para nível superior. 
 
Os candidatos fizeram as provas nos municípios de Abaetetuba, Altamira, Bragança, Breves, Belém, Cametá, Capanema, Capitão Poço, Castanhal, Conceição do Araguaia, Itaituba, Mãe do Rio, Marabá, Maracanã, Monte Alegre, Óbidos, Santa Izabel, Santarém, Soure e Tucuruí. A empresa organizadora do concurso é a Consulplan.
 
O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Administração (Sead), vem trabalhando para realizar 22 concursos públicos ainda neste ano. São 5.765 vagas ofertadas, em cargos da administração direta e indireta. “Esse é mais um concurso público realizado com sucesso. Estamos trabalhando em mais 22 concursos, e esses novos profissionais já vão estar aptos a ingressar nos quadros da administração a partir de janeiro de 2019”, informa a secretária de Estado de Administração, Alice Viana. De acordo com a Sead o certame que oferece o maior número de vagas é o da Seduc.
 
Susiane Santos prestou seu primeiro concurso público para Bacharelado em Letras. “A prova foi excelente para quem estudou. O tema da redação que tratou sobre inclusão aluno – escola foi bem interessante. Estou terminando a graduação e espero entrar logo no mercado de trabalho”, disse.  
 
Vagas -  As áreas de nível superior contempladas pelo concurso são Artes (136 vagas), Biologia (24 vagas), Educação Física (23 vagas), Filosofia (103), Física (39), Geografia (101), História (98), Inglês (193), Matemática (731), Língua Portuguesa (540), Química (35) e Sociologia (89). As áreas mais concorridas são Educação Física (518 candidatos por vaga no pólo Belém) e Biologia (354 candidatos por vaga no município de Castanhal).
 
A remuneração é constituída de vencimento e gratificação de escolaridade que varia entre R$ 1.787,00 para o cargo de Professor, Classe I, Nível A, 20 horas; R$ 2.690,00 para o cargo de Professor, Classe I, Nível A, 30 horas; e R$ 3.574,00 para o cargo de Professor, Classe I, Nível A, 40 horas, remuneração ainda a ser acrescida de 10% de Gratificação de Magistério, além de Auxílio Alimentação no valor de R$ 525,50.
 
Interior do Estado - No município de Abaetetuba, 3.015 candidatos fizeram a prova do concurso da Seduc. No Colégio São Francisco de Assis, que recebeu o maior número de inscritos, um grupo de professores de Matemática recém-formado participou do certame. Riviane Lobato, Laura Silva, Francivaldo Pinheiro e Raniele Pinheiro estudaram juntos e se formaram em 2017. "É o nosso primeiro concurso, mas temos a vantagem de estar com tudo o que aprendemos em sala de aula bem vivo na memória", disse Riviane.
 
O professor de Língua Portuguesa, Benedito Souza, chegou às 8h01 e encontrou os portões  fechados da Escola Cristo Redentor. Professor concursado da rede municipal de Tailândia, ele vislumbrou no concurso da rede estadual a oportunidade de ter o segundo vínculo público, permitido aos docentes. "Infelizmente não deu tempo. Acordei 7h30 e como moro aqui perto achei que daria tempo, pois vim de moto. Não deu, agora é esperar o outro concurso", relatou.
 
A prova terminou às 12h25, mas alguns candidatos encerraram a prova bem antes. A professora de Inglês Daniele Machado veio de Barcarena e às 10h50 foi a primeira da sua sala a entregar a prova. Professoa na rede particular, a candidata busca a estabilidade do serviço  público."A minha avaliação é  muito positiva, as questões estavam dentro do conteúdo, principalmente a parte específica", avaliou. 
 
Já em Marabá, na Faculdade Metropolitana, o local com maior número de inscritos, a professora de Biologia Vera Lima Gomes se confundiu com o horário e chegou dez minutos após o fechamento dos portões. “Eu não sabia que os portões fechavam às 8h, achava que era oito e meia, eu não me informei, agora não adianta chorar pelo leite derramado, infelizmente não deu”, lamentou.
 
Nas salas, professores concentrados; do lado de fora dos locais de prova, parentes na torcida. O lavrador Valdemilson Ribeiro trouxe a esposa Rosanélia Corrreia, de São Geraldo do Araguaia. “Estou aqui mandando energia positiva, tenho certeza que ela vai conseguir passar. Acompanhei ela estudando noite e dia para o concurso”, disse.
 
No município, 5.423 candidatos estavam inscritos. A organização do concurso contabilizou 992 faltas. Para a efetiva realização do certame em Marabá, foram necessárias 650 pessoas entre fiscais e apoio para os sete locais de prova que foram disponibilizados. 
 
Nos municípios de Braganca e Capanema, no nordeste do Estado, as provas foram realizadas com tranquilidade. 
 
De acordo com a coordenadora do município de Braganca, Lena Amorim, a tranquilidade no decorrer da manhã se deu devido a uma logística montada desde às quatro da manhã e com um coordenador em cada espaço. “Tudo ocorreu sem nenhuma eventualidade que colocasse em risco o andamento da prova”, comentou.
 
A geógrafa Sirlene Barbosa, 29 anos, era uma das candidatas mais nervosas na entrada do Centro Educacional  João Paulo II, no centro de Bragança. Ela já trabalha no Estado dando aula com vínculo de contrato temporário. “Amo a sala de aula, mas quero a estabilidade”, afirmou.
 
Já em Capanema, a coordenadora do concurso, Danielle Batista Telles, explicou que os portões dos postos foram abertos às 07 horas, com fechamento marcado para às 08 horas. “Alguns confundiram e chegaram após o início e não puderam fazer a prova”, explicou.
 
A bióloga Alexandra de Araújo Pereira, 38 anos, entregou a prova às 10 horas e foi a primeira candidata a sair  no Colégio São Pio X, centro de Capanema. Ela já trabalha há 18 anos como professora. Atualmente é temporária no município de Salinópolis e está concorrendo uma vaga para Marabá como professora de biologia. “As questões estavam extensas, com enunciados enormes mas muito bem contextualizados”, comentou a professora.
 
Baixo Amazonas - No polo de Santarém, o concurso da Seduc teve 2.720 inscritos. Destes, 456 candidatos não compareceram nos locais de provas, que foram realizadas nos três Campus da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e na Escola Estadual Álvaro Adolfo da Silveira.
 
Candidatos avaliaram o conteúdo cobrado no exame. Na opinião de Tais Pâmela Aguiar, formada em Letras - com habilitação em Língua Portuguesa, o nível da prova estava razoável. "Da parte de constituição achei bastante razoável e gostei, também, do tema da redação que foi o que mais me agradou", avaliou a candidata.
 
Fredson Brelaz, que concorreu a uma vaga para professor de Língua Inglesa para o município de Óbidos, ressaltou que as questões foram bem elaboradas. "O que estudei realmente caiu na prova. Hoje em dia os concursos públicos estão mais concorridos, por isso não adianta fazer essa prova se você não tem tempo de estudo. Espero ter alcançado bons resultados", afirma.
 
De acordo com a coordenação do polo de Santarém, a aplicação do certame transcorreu dentro da normalidade.